terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Curitiba - astros, chopp e livros

Depois de visitar papai em São José dos Pinhais (veja postagens anteriores), fui para Curitiba rever velhos amigos e as coisas da cidade. Eu gosto, dos shoppings, dos bares, das ruas e lojas descoladas do Batel-Soho e arredores. Inclusive, temos um velho (mesmo) amigo da nossa adolescência, passada em uma comunidade de jovens católica, que mudou-se para lá. Hoje é empresário austero e, nas suas longas horas vagas, tornou-se astro de publicidade na TV. Já fez filmes para a Skol, Volvo e várias campanhas nacionais e regionais.

Aí está ele, Welington dos Santos, fazendo pose de celebridade deslumbrada com as notícias do seu mundo glamuroso. Em sua página no orkut ele define-se: "Sou louco mas não insano, embora esteja sempre a um passo disso." Pelo menos a auto-crítica está calibrada.


Enquanto tomávamos um chopp num dos bares do Batel, passou um diretor de filmes publicitários, viu o astro entornando com este amigo que vos escreve e já pediu seu telefone para uma nova missão artística. Nessa foto ele já está lendo o roteiro, na mesa do boteco.

Telecomunicações, arte, imaginação e chopp. O segredo dos astros seniores da Hollywood brasileira.

Essa turma é de estudantes de cinema do Centro Europeu que foram pedir para ele fazer uma ponta em seu trabalho de conclusão de curso. Um artista apóia a educação.

Tomei o café da manhã nesta livraria. espaço amplo, pãezinhos quentes e deliciosos, bebidinhas aconchegantes e ... livros.

Ver seu livro na estante em uma cidade por aí: não tem preço. Esse aí é o América e outras viagens (Campinas: ed. Papirus).

O tempo nos mostra que a desejada contemplação aristotélica do mundo passa por encontros pessoais e com nosso imaginário: livros, filmes, fotos, musica, enfim, a arte.

É interessante como basta mudar de cidade ou estado para descobrir novos titulos e autores, temas e antiguidades, ilustrações e textos nunca antes conhecidos ou perdidos nos novelos da memória.

O cantinho de comes e bebes da livraria, onde tomei o café da manhã antes de encontrar o astro de nossa geração acima identificado no bar de sua (dele) preferência.
Não encontrei todo mundo que conheço em Curitiba. Final de ano, pouco tempo, compromissos e a vida nos leva de um canto a outro como folhas de coentro aos ventos de outono. Curitiba é uma dessas cidades onde o cenário urbano nos instiga a andar pelas ruas sempre em busca de uma novidade, um ângulo diferente, um traço arquitetônico mais ousado.

2 comentários:

Andréa disse...

Ufa! ainda bem que voltou! já estava sentindo falta...
beijos

Welington disse...

Luizinho, sem essa de "Prof."

1. "velho" é aquele senhor que vc vê toda manhã no espelho.
2. obrigado pelos trechos e fotos dedicados e esse orgulhoso empresario/artista,bem como aos comentários maldosos....hehehehe
3. estou colocando no meu yogurt um album com as fotos da filmagem daqueles moleques (gravamos das 18h até as 5h do domingo...)

bjão e se as filhas me liberarem, irei a Campinas passar o Reveillon com vocês.