segunda-feira, 12 de maio de 2008

Algumas coisas sobre minha mãe

Domingo foi dia das Mães. Comemorei na casa de minha prima Vanira Godoy, a matriarca que reuniu filhos, netos, bisnetos, primos e sobrinhos em sua casa com um almoço, como sempre, delicioso. A goiabada e a cocada caseiras da sobremesa fariam um mineiro ortodoxo roer-se de inveja e despeito.

Mas a minha mãe chamava-se Aurea Anunciação Américo de Godoi (o Trigo é de papai). Morreu em 1975, em Campinas, de ataque cardíaco, quando eu tinha 16 anos (fui filho único, semi-mimado). Era professora de história e geografia e há uma escola estadual em Campinas com seu nome. Já coloquei seu nome no google para matar saudades. Memória virtual...

Quando morre alguém querido a gente sente uma coisa estranha mas isso não é para ser um sentimento ruim. Saudades são boas, porque remetem a bons momentos.

As melhores memória que tenho da mãe:

1. O bolo salgado que ela fazia (exceção culinária, em geral não cozinhava).

2. As histórias em quadrinhos que ela me comprava (Disney) e onde aprendi a ler.

3. As sessões de cinema no domingo de manhã.

4. As sopas nas noites de inverno, em nossa casa.

5. Os Natais passados com os tios e primos(as).

6. O carinho com que ela cuidou de sua própria mãe ao longo da doença fatal.

7. Sua segurança em me educar (afinal eu era rebelde e teimoso). Era???

8. Fui seu aluno na oitava série, era divertido e instigante (para mim e para ela).

9. O prazer de lhe pagar, com meu próprio dinheiro, um lanche nas Lojas Americanas, um mês antes de sua morte.

10. As férias nas praias paulistas.

11. Lembrar de nossa curta história em comum dando risadas. Bom e saudável.

Um comentário:

Maria das Graças Venancio disse...

Oie...Luizinho assim acostumei te chamar,mas continua no coração de seus entes queridos este diminutivo de nome...Conhecendo bem seu tio,(meu sogro)imagino a cena de Domingo todos vcs brincando e vivendo aqueles momentos tão únicos e somente seus,que nem o tempo pode apagar,não sei ainda mas deve ser horrivel pensar no dia em que ela se foi,por outro lado,sei e posso dizer sobre a dor de meu pai.Será que pode ser um pouco parecido?Hoje infelizmente uma parte desta maravilhosa familia,está assim um para cá,outro para lá,as pessoas crescem e a maneira de encarar a vida é vista conforme o que cada um pensa,infelizmente não pensamos igual...poderiamos tentar um dia reunir esta familia que merece mais tempo juntos,e viver mais em PAZ,e com muito amor no coração!Acho que falo demais mas....
Tai ai meu recadinho...sei o quanto é feliz,mas sempre faltará algo mais em sua vida,que se chama MÃE...é sem palavras a falta que ela nos faz a nossa mãe!
bjos
Gracinha


PS:Ótima semana...