sexta-feira, 8 de julho de 2011

Um dia especial na Catalunha, em Manresa y Montserrat

Fotos e texto, Luiz G. G. Trigo
Obs. Teclado com acentos restritos. Para ampliar as fotos, clique nelas.

Na terça feira, 5 de julho, saí bem cedo de Barcelona para ir a cidade de Manresa que fica a uma hora e vinte minutos de trem.


A cidade fica na margem do rio Cardener, em um dos seus pontos altos está a catedral gótica, a Basílica de Santa Maria da Sé, inaugurada em 1488.


Junto a uma das margens do rio Cardener, está a Cova de Santo Inácio de Loyola, um dos lugares mais importantes na vida do fundador da Companhia de Jesus, a conhecida ordem católica dos jesuítas. A vista a cima é do alto da Sé, de onde se descortina parte da cidade com o atual complexo dos jesuítas.


Olhando mais para a direita está a ponte velha, construída nos séculos XII ou XIII, que era a entrada do povoado. Foi por ela que Inacio de Loyola entrou na cidade, em março de 1522, vindo do monastério de Montserrat. Ele encontrou uma cova natural feita pela erosao do rio e lá se instalou, até fevereiro de 1523. Vivia em meio à natureza selvagem, andava pelo povoado pregando, cuidando dos pobres, ensinando as crianças e ali escreveu os Exercícios Espirituais, um dos livros espirituais mais importantes doo cristianismo.


A cova hoje é protegida pelas colunas e grades que se observa ao fundo e encimada pelo complexo de edifícios e igrejas dos jesuítas. Acima o complexo visto do outro lado do rio, com a ponte velha à frente.


Parte da cova pode ser vista do exterior.


A entrada da igreja que possui duas grandes alas ...


... sendo uma delas o local originário onde ele morou e escreveu os Exercícios Espirituais. O semiólogo Roland Barthes considera esse texto como um dos sistemas de comunicaçao mais importantes já elaborados no ocidente.


De Manresa peguei um trem local, num percurso de uns 25 minutos, até o acesso de Montserrat, um conjunto de montanhas geológicamente muito típicas que abriga um mosteiro beneditino com mil anos, sede de um complexo religioso, turístico e ambiental importantíssimo na Europa.


Da estaçao local o acesso à montanha pode ser feito à pé, por estrada, teleférico ou um moderno trem de cremalheira. O trem é super moderno, com janelas imensas e sobe até 750 metros de altitude.


Lá no alto, bem no meio da montanha, está o imenso complexo de museus, restaurantes, dois hotéis, basílica e claustros do Monastério Beneditino de Montserrat. A virgem local lembra a de Aparecida, pois a imagem é negra e foi encontrada numa cova, numa parte um pouco mais baixa da montanha. Ali no alto Inácio de Loyola concretizou sua conversao e no dia 24 de março de 1522 fez uma vigília a noite inteira, trocou de roupas com um homem pobre e deixou sobre o altar sua espada, símbolo de seu passado militar. Dali ele foi para Manresa e depois para Jerusalém, várias cidades da Espanha, Paris e Roma, onde fundou a ordem dos jesuítas. Em Santos, SP, existe o morro de Montserrat, justamente em hoemenagem ao mosteiro espanhol.



Às vezes é importante que as paredes do nosso mundo sejam trespassadas pela infinitude dos mistérios e pela amplitude do universo...


Montserrat era passagem obrgatória para quem ia e voltava da Terra Santa pelo porto de Barcelona, além de ser uma referencia monástica para peregrinos e religiosos, até hoje.


Em seu interior várias obras de arte fazem parte do tesouro espiritual de várias geraçoes.


O complexo possui um gerenciamento altamente técnico e especializado em termos de hospitalidade e turismo. A infra estrutura de acesso é garantida pelo Estado e é de altíssima qualidade turística, aliás como a maior parte das coisas na Espanha e arredores.


Esse é o funicular que vai do mosteiro até o alto da montanha, a 1000 metros de altura. É todo envidraçado e sobe uma rampa acentuada com uma vista magnífica.


Lá de cima o mosteiro aparece em sua amplitude.


No alto da montanha há várias trilhas e ermidas antigas, em meio às rochas e ao verde.


No outro sentido da montanha, um pouco abaixo do mosteiro, está a cova onde a imagem foi encontrada e uma trilha de pedras, que percorre a natureza.


Ao entardecer as montanhas se cobrem de luz. Acima a escarpa e no alto a estrutura de parte do complexo.


O parque natural de Montserrat é um destino natural, religioso e cultural, uma preciosidade a apenas uma hora de Barcelona.

4 comentários:

Ana Paula Spolon disse...

Trigo!!! Você chegou a Manresa e Monserrat! Sábia decisão. É lindo, não? Trocamos impressões na volta... Beijos!

xxxxx disse...

Trigão, parabéns! É um lugar que me faz viajar no "tempo e no espaço". O Colégio (e o Mosteiro) de São Bento no Rio de Janeiro, aonde estudei a minha vida toda, tem como padroeira N. Sra. de Montserrat. Nosso uniforme azul tem um emblema lindo da montanha cortada com um serrote. Fazem quase vinte anos que estive aí... preciso voltar e levar os meninos. Safe travels! Gui

Jorge Luiz de Oliveira Braga disse...

Parabéns pela viagem. Gostaria de ter maiores informações pois estarei em Barcelona e quero ir lá em Manresa e Monserrat logo ao chegar em final de fevereiro. Se puderes entrar em contato agradeço.
Jb

Claudia Soares disse...

adoro!! Tenho familia em Manresa, e acho o lugar incrivel...Montserrat e A Cova de Santo Ignacio de Loyola...belas imagens