segunda-feira, 3 de maio de 2010

Fernando Pessoa, um viajante existencial

É maio, daqui a dois meses férias... Então em homenagem às viagens de nossos sonhos, deixo dois poemas de Fernando Pessoa. De seu Livro de Viagem (Lisboa: Guerra e Paz ed., 2009).

Fotos: Luiz GG Trigo. Punta del Este, 2009.


Viajar! Perder países!

Viajar! Perder países!
Ser outro constantemente,
por a alma não ter raízes
De viver de ver somente!

Não pertencer nem a mim!
Ir em frente, ir a seguir
A ausência de ter um fim,
E da ânsia de conseguir!

Viajar assim é viagem.
Mas faço-o sem ter de meu
Mais que sonho da passagem.
O resto é só terra e céu.





Marinha

Ditoso a quem acena
Um lenço de despedida!
São felizes: tem pena...
Eu sofro sem pena a vida.

Doo-me até onde penso,
E a dor é já de pensar,
Orfão de um sonho suspenso
pela maré a vazar...

E sobe até mim, já farto
De improfícuas agonias,
No cais de onde nunca parto,
A maresia dos dias.

3 comentários:

Mari Aldrigui disse...

Ai adoro!
Viajar... viajar... mesmo que sem sair do lugar...

Andréa disse...

Eba!!! Poesia! Sempre bom, né??

Beijos

João Felipe disse...

Fernando Pessoa, sempre Fernando!