sábado, 14 de março de 2009

EACH-USP: Primeira colação de grau

"Não tendo encontrado em toda a Galáxia nada que fosse mais precioso que a Mente, encorajavam o seu aparecimento em todos os lugares. Tornaram-se lavradores nos campos das estrelas, semeando e, às vezes, colhendo. Havia ainda ocasiões em que eram obrigados a capinar." Arthur C. Clarke, 2001 Odisséia Espacial.
A primeira colação de grau, da turma de 2005, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, foi no salão Elis Regina do Centro de Convenções Anhembi de São Paulo, na noite de sexta-feira, 13 de março de 2009.


Aguardando os graduandos no foyer, para entregar os certificados, Rosângela (chefe em exercício da graduação), Profa. Maria Cristina Toledo (presidente da Comissão de Graduação) e Prof. Dante de Rose Junior (diretor da EACH e patrono das 10 turmas).

Foi a festa do final do primeiro ciclo da EACH, um momento simbólico forte para o processo de consolidação da mais nova unidade da Universidade de São Paulo. É uma experiência marcante ver um projeto ganhar forma, ser implantado e gerar seus primeiros frutos. E o sabor dos frutos desgustados da árvore que ajudamos a plantar, sabe à eternidade.


Olhar para o presente, que na verdade é o início do futuro para centenas de pessoas, e compreender seu passado, faz com que pensemos em nossas próprias vidas e projetos. É um espelho que mostra muito mais que nossos próprios reflexos, mas as luzes daqueles que ajudamos no caminho e a consciência de como fomos por eles ajudados.

Para mim não foi a primeira vez. Participei das equipes que implantaram a educação superior no Grande Hotel São Pedro (do Senac-SP, em Águas de São Pedro, onde fui Coordenador Pedagógico) e da implantação no Grande Hotel Campos do Jordão, onde auxiliei desde os primeiros dias. Vi também várias faculdades e universidades implantarem novos cursos pelo Brasil, desde 1996. Sem contar as inúmeras festas de graduação que vivenciei na PUC-Campinas.

Mas a experiência na USP foi parte de um processo mais complexo. A comemoração foi um mútuo reconhecimento das conquistas de cada um.

Quase todos os oradores dos alunos falaram dos primeiros dias do novo campus. Foi estranho. Para os alunos, para os professores e funcionários. Éramos todos calouros, sem veteranos para nos mostrar como fazer. O campus era formado por três pequenos prédios, uma edícula onde ficavam os professores e o restaurante. Os concursos de professores eram, na verdade, processos seletivos, o que significava que éramos precários (apenas em 2007/2008 fizemos outro concurso e nos efetivamos). O resto eram promessas... que se concretizaram.

A festa foi especial para todos, alunos, professores e funcionários.

Ficam os sorrisos...

... a sensação de vitória face a um desafio aceito e dominado...

... o mútuo reconhecimento, mesmo entre aqueles que parecem tão idênticos...

... mas que se sabem únicos e especiais.

Então a festa acontece com os amigos, parentes e quem mais quiser participar...

... torcer...

... e vibrar com cores e sons.

A profa. Mariana Aldrigui, absolutamente detalhista, viu que a bandeira de São Paulo estava de ponta cabeça. Avisamos e alguém a colocou na maneira correta.

E rolou a festa...

...com a mesa cheia de professores, funcionários, paraninfos e homenageados.

Muitos professores e professoras foram ver os primeiros frutos dourados do sol do leste uspiano.

E todos e todas levaram para suas vidas o bem mais precioso dos que reconhecem a educação: o sorriso franco e aberto do futuro...

Parabéns aos graduandos dos cursos de Lazer e Turismo, Gerontologia, Obstetrícia, Marketing, Gestão Ambiental, Sistemas de Informação, Gestão de Políticas Públicas, Licenciatura em Ciências da Natureza, Ciências da Atividade Física e Têxtil e Moda.


Um comentário:

Léo Pereira - Betta São Paulo disse...

Ficou legal demais... parabéns!