quarta-feira, 10 de setembro de 2008

São Paulo - pluralidade, bom humor e neurose

Dia 11 vou para Cachoeiro do Itapemirim (ES) falar sobre turismo e questão social. Para conseguir algumas imagens, peguei minha câmera e fui pelo nobre bairro de Higienópolis, em São Paulo. Aqui estão as 16 melhores imagens e histórias.


Braveza: essa senhora gritava no celular contra alguém que tinha feito algo contrário ao seu gosto.
Dupla maternidade: na esquina da Angélica com Higienópolis, ela desfila seu futuro.


Restos: Esse é o Pedro. Ele anda pelos canyons de riqueza buscando fragmentos que sobram do cenário para fazer sua história. Autorizou a foto.

Nem restos: um homem jaz, abandonado, na rua Sabará, a 50 metros da av. Higienópolis. Á sombra de um dos maiores PIBs e IDHs do mundo. Não tive como pedir autorização para a foto, mas poupei seu rosto.

Segurança: O cão está com focinheira (raridade). Pedi à garota para tirar a foto, ela disse que era a adestradora e apontou a dona, uma senhora elegante. Ela me olhou, avaliou e autorizou. O garotinho que estava com outro cãozinho ficou encantado e quis posar para a foto.

Este senhor é motorista de táxi do ponto da av. Higienópolis, quase esquina com Angélica. Descansa curtindo uma melancia. Adorou a foto.

Luxo: vista interior do Shopping Higienópolis, um dos templos de alto consumo de São Paulo.

Perigo: enquanto tirava fotos no shopping Higienópolis um segurança me seguiu. Depois me abordou com muita delicadeza e perguntou o que eu fazia. Papo vai, papo vem, acabei indo na cobertura pedir autorização ao departamento de marketing para fotografar. A secretária, Thaíse, não soube me expliar se proibiam turistas de tirar fotos de um shopping tão bonito. Deu o telefone de seu chefe, o Patrick (3823.2321), mas ele estava num congresso. Sua expressão corporal talvez tenha insinuado que eu não deveria tirar fotos e incomodar as pessoas em um lugar tão distinto.
Cuidado: se você quer levar seu cãozinho no shopping Higienópolis pode, mas leia antes este totem, na entrada, com as explicações de como proceder com o animal. Mas se você for pobre, mal encarado ou os seguranças entenderem que você é indesejável, não adianta ler nada, você não pode entrar no shopping. Sorry, miserable people.

Cúpula: telhado de vidro do shopping Higienópolis. Arquitetura majestosa, mas quando chove a impermeabilização não é perfeita.

Lixo: na calçada da Av. Higienópolis, esperando o caminhão da limpeza pública.

Verde: com prédio ao fundo. Uma esquina privilegiada.

Serenidade: janelas que se abrem para ruas frondosas e tranquilas.

Trabalho: na esquina da Av. Higienópolis com a rua Martim Francisco, este homem exerce o raro ofício de consertar cadeiras de palhinha. Na calçada.

Consumo: o supermercado Pão de Açucar da rua Maria Antonia, em frente ao Mackenzie, tem um pessoal simpático, mas para tirar fotos tem que falar com a Paula (imprensa), no telefone 3886.0465.

Cidadania: já os policiais do posto da PM, na rua Major Sertório, desconfiam que sou bom moço e posaram tranquilamente para a foto.
Agora é só articular mais algumas idéias e mostrar que em qualquer cidade latino-americana o pluralismo, o bom humor e as neuroses andam pelas ruas sem grandes preocupações com o mundo.














2 comentários:

Pri Guti disse...

Caro Trigo, estive pelas mesmas ruas esta semana e acrescento uma novidade que constatei (nem sei se é novidade mesmo), a prática de reserva de vagas na rua para carros. Tentamos parar em uma vaga mais o dito só saia dali se fosse atropelado, pode! Onde esta cidade vai parar? Ótima análise, parabéns pelo blog!

Andréa disse...

Quase que apareço nas fotos! Se a gente tivesse combinado o horário....
Bjs