domingo, 30 de janeiro de 2011

Costa Serena - o navio e os portos

Aproveitei o final de semana e o feriado em Sampa para um cruzeiro no Costa Serena, até a Bahia. Dias bonitos, navio novo (2007), serviço legal e algumas novidades portuárias.


O porto de Santos está melhorando, aos poucos. Já tem acesso novos, galpões reformados e este ano demorei duas horas para embarcar (ano passado, no Splendor of the Seas, demorei três horas). Minha sorte é que o navio estava bem em frente ao terminal. Pessoas que embarcaram nos navios em posições mais remotas demoravam umas três horas porque esperavam os ônibus e faziam um longo percurso, pelas ruas externas congestionadas fora do porto, para embarcar. Enfim, Santos continua com um porto sofrível que ainda não atende aos interesses turísticos para cruzeiros. Espero que para 2012, a situação melhore com mais consistência.

O Costa Serena é bem grande. São 112.000 toneladas, 3.780 passageiros, 1.100 tripulantes, 17 decks e 290 metros de comprimento. Com muito espaço para as pessoas fazerem mais ou menos o que quiserem.


O navio é registrado em Gênova, Itália, mas a tripulação é internacional. Grande parte dos oficiais são italianos ou europeus, há muitos asiáticos, latinos de língua espanhola e brasileiros.


Esse éo salão principal para shows, com alta tecnologia em imagem e som. O diretor artístico do navio chama-se Naim e é extremamente competente. Em todos os lugares (bares, salões, festas) há música ao vivo de ótima qualidade e a atenção para com os eventos é primorosa.

Esse é um dos restaurantes, no jantar do primeiro turno, portanto ao anoitecer.

Um dos bares do navio. Tudo com muitas luzes, cores e decoração para entretenimento e espetáculo.


O Rio de Janeiro está ais avançado na questão portuária de passageiros. Vários galpões foram reformados e servem para outras atividades ao longo do ano. Toda a região portuária carioca está em fase de reestruturação e melhorias profundas.


A estrutura do porto do Rio facilita as transformações qualitativas, pois estende-se bem em frente à praça Mauá e área central da cidade.

Essa foto é do último deck do Serena. Bem à frente está o Vision of the Seas, da Royal Caribbean. Dá para perceber a diferença do porte. Mas a Royal possui os maiores navios do mundo, com 220.000 toneladas, que ficam prioritariamente no Caribe.

O interior dos novos galpões de embarque e desembarque no Rio. Amplos, limpos e funcionais, mas sem ar condicionado.

Essa foto foi tirada bem do meio do navio, que possui 36 metros de largura. Parece que está no meio da cidade.

E aqui a foto foi bem na amurada, de onde se vê os armazéns de embarque e parte da nova estrutura de serviços. Nada como a Copa e as Olimpíadas para acordar as autoridades.

Essa foto foi tirada dos balcões do mosteiro de São Bento, ao lado da praça Mauá. O mosteiro (e colégio/faculdade) fica no alto de um pequeno morro e cercado pelos prédios da Marinha, um  lugarzinho seguro. Atrás da igreja há um caminho que vai até o colégio e dali vê-se a antiga estação de passageiros (a torre azul) e alguns  navios. O primeiro é o Black Watch e o maior o Costa Serena.

As próximas postagens serão as nossas cidades vistas do mar.


Um comentário:

xxxxx disse...

Trigao, adorei o post. Estudei no Sao Bento durante toda a minha vida escolar e ja nos anos 80 curtia ver os navios de cruzeiros ancorados na frente das nossas salas de aula. Deve ter sido nessa época, entao com uns 8 anos que a fascinação pelo turismo começou. Quem diria que 30 anos mais tarde lecionaria disciplinas de cruzeiros no Hawaii e na Gold Coast?
Saudades, Gui Lohmann