terça-feira, 31 de agosto de 2010

Qual o melhor país do mundo?

A revista norte-americana Newsweek publicou na edição de 23 a 30 de agosto seu primeiro ranking sobre os melhores países atuais para se nascer e viver. Foram considerados cinco tópicos: educação, saúde, qualidade de vida, competitividade econômica e políticas ambientais.

As principais conclusões foram: quanto menor e com menos população, melhor; em segundo lugar, um ótimo sistema educacional desde o nível básico é crucial. Mas fica evidente que não há um único modelo para o sucesso nacional. Para a revista, "qualquer sabedoria convencional que diga que Beijing ou Brasília possuem a resposta, melhor que Washington, está equivocada".


Foram elencados 100 países. A lista dos 60 melhores é esta:

01 - Finlandia
02 - Suiça
03 - Suécia
04 - Austrália
05 - Luxemburgo
06 - Noruega
07 - Canadá
08 - Holanda
09 - Japão
10 - Dinamarca
11 - Estados Unidos
12 - Alemanha
13 - Nova Zelândia
14 - Reino Unido
15 - Coréia do Sul
16 - França
17 - Irlanda
18 - Áustria
19 - Bélgica
20 - Cingapura
21 - Espanha
22 - Israel
23 - Itália
24 - Eslovênia
25 - República Tcheca
26 - Grécia
27 - Portugal
28 - Croácia
29 - Polônia
30 - Chile
31 - Eslováquia
32 - Estônia
33 - Hungria
34 - Lituânia
35 - Costa Rica
36 - Letônia
37 - Malásia
38 - Bulgária
39 - România
40 - Kwait
41 - Panamá
42 - Peru
43 - Emirados Árabes Unidos
44 - Uruguai
45 - México
46 - Argentina
47 - Jamaica
48 - Brasil
49 - Ucrânia
50 - Cuba
51 - Rússia
52 - Turquia
53 - Jordânia
54 - Qatar
55 - República Dominicana
56 - Belarus
57 - Albânia
58 - Tailândia
59 - China
60 - Omã
...
O outro país do BRIC, a Índia, está em 78º lugar. Entre os países do BRIC o Brasil está melhor situado. Não é de se admirar, é muito mais legal morar aqui.

A revista ainda aponta dez líderes mundiais que ganharam respeito por suas ações. Entre eles está o presidente brasileiro. Abaixo reproduzo a ilustração e os comentários sobre eles diretamente do site www.nwesweek.com





By Mac Margolis

As Brazilian President Luiz Inácio Lula da Silva prepares to leave office, he still enjoys rock-star status at home and red carpets abroad. Granted, Brazil was poised to rise before Lula's 2002 election. But the former union boss was wise enough to recognize business as an ally rather than an enemy. Under Lula, Brazil morphed from the developing world's chronic underachiever to an emerging-market powerhouse. With a stable economy, clean-burning biofuels, giant new oil fields, a rising middle class, and falling inequality, Brazil today seems to have it all. While some critics now claim glory has gone to Lula's head—citing his recent overtures to demagogues such as Hugo Chávez and Mahmoud Ahmadinejad—Lula has remained essentially a pragmatist, savvy enough not to gamble his country's newfound fortunes on a populist adventure. As a result, Brazil has soared on his watch. And in politics, that's all that counts.






Um comentário:

xxxxx disse...

Trigão,
essa lista explica o porquê de eu ter deixado o Brasil (48), ido para a Nova Zelândia (13), depois EUA (11) e por fim Austrália (quarto lugar). Não almejarei ir para um dos top 3, já que os invernos deles são impraticáveis para mim.
Te espero Down Under.
Abraços,
Gui