terça-feira, 14 de julho de 2009

Kuala Lumpur - Malaysia

Obs. Postado em Kuala Lumpur - teclado sem acentos
Fotos: Luiz G. G. Trigo
Estive pela primeira vez em Kuala Lumpur (KL, para os intimos) em julho de 1980, mas nem desci do jato. Fiz apenas uma escala, vindo de Madras (India) para Cingapura, nos tempos em que era guia internacional da Abreutur. Esperei 29 anos para conhecer a Malasia. Valeu a pena. A cidade e uma das tres mais excitantes e modernas do sudeste asiatico. Bangkok e Hanoi, por exemplo, possuem um exotismo peculiar, mas a modernidade tardia esta em Cingapura, Kuala Lumpur e Hong Kong.

Qual e a face de KL? Uma mescla de culturas do subcontinente indiano, da China, do mundo islamico, parte da Africa e ocidente. Pos-modernidade significa muito pouco para a Malasia, rica em petroleo, agricultura, industria e global business. Aqui e a hiper-modernidade.


O pais tornou-se independente em 1957. Foi uma regiao profundamente influenciada pelos chineses, ingleses, holandeses e ate pelos portugueses. Na foto a Praca Merdeka, com a torre antiga em primeiro plano e a torre moderna (KLCC), ao fundo, com 420 metros de altura, a quarta mais alta do mundo.

Malls (shopping centers) e ruas comerciais de todo tipo espalham-se pela cidade. Acima o shopping Pavillion, perto de onde ficamos, no Novotel.

Vista parcial da cidade, do alto da torre KLCC. Os predios marrons ao fundo tem 60 andares, cada um.

O point mais famoso da cidade chama-se Petrona Towers, as torres gemeas da empresa de petroleo da Malasia. Nao da para subir ate o topo (acho que eles previram o 11 de setembro). Para reservar lugar no restaurante (41. andar) e preciso fazer fila as seis da manha e conseguir um ingresso gratuito. Muito obrigado. Preferimos deitar no gramado, no entorno das torres, depois do almoco, e ficar de perna para o ar vendo o panorama.


O nome e feio, mas significa Independencia. Praca da Independencia...


... onde os turistas saciam sua fome de fotos. Ai estao Ricardo Uvinha, Edmur Stoppa e Alexandre Leonarde fotografando a Merdeka.


A cidade esta perto da linha do Equador, portanto o calor nessa epoca e bem intenso. Mas o visual e fantastico e tem ar-condicionado em todo lugar.

Vista das Petrona Towers, do alto da torre KLCC. E a quarta mais alta do mundo. A mais alta e a CN Tower, em Toronto (Canada),depois tem uma na Russia e outra na China.


Essa foto e na igreja Sao Francisco Xavier, em Malaca (Meleka). Francisco Xavier foi um dos fundadores da Companhia de Jesus, amigo de Inacio de Loyola, e foi o primeiro apostolo jesuita para o Oriente. Morreu em Macao, foi enterrado por nove meses em Malaca e hoje esta em Goa (India). Na foto ele esta ao lado de seu discipulo japones (esquerda) e sua estatua possui tracos orientais que ele nao possuia, pois era espanhol.
Ha muito mais fotos, mas ja sao 22h30 e amanha vamos de madrugada para Bangkok. Hasta la vista.



3 comentários:

Luiz Gabriel disse...

Puta sacanagem não deixar as pessoas subirem nesse imenso edifício!!! A vista de lá deve ser demais!!!

Abrass

Confraria Rei Netuno disse...

Depois da decepção com a passagem pela China, que bom respirar o ar de modernidade e simpatia da Malásia.
Agora juntos você e os companheiros Ricardo Uvinha, o Edmur Stoppa e o Alexandre Leonarde em frente a Igreja de São Francisco Xavier poderão dizer: Gracias agamus Domino Deo nostro, enquanto o Stoppa aproveita
para enxugar as lágrimas de alegria.
Você sabia que em 1980 um jovem de 21 anos guia internacional de Turismo, levar um grupo para fazer
a volta ao mundo, era uma temeridade e grande desafio ?
Parabéns pelas belas e contrastantes novidades essa viagem
está proporcionando.
Beijos, Lima Trigo e Marli.

Aurélio disse...

Muito bacana, parece ser um lugar surpreendente.
Enquanto somos recém formados e ainda não chegamos nesse nível de sofistificação nas viagens, vamos nos motivando e matando a curiosidade pelo seu blog.

Abraços e divirtam-se pela Ásia!!!
Aurélio (EACH)