quarta-feira, 14 de julho de 2010

A Bahia rústica - Mangue Seco e suas delícias

Uma viagem pode ter seus imprevistos. O meu foi a gripe que me acompanhou de São Paulo até a Chapada Diamantina. Em Lençóis, fui ao hospital público e o médico local me deu inalação, injeção e antibióticos ...

... e a gripe se foi, aos poucos. Olha minha cara de convalescente no hospital de Lençóis. Agradecimentos ao médico e ao farmacêutico que me tiraram da cova.

Esse é o nosso grupo, na Chapada: Viviane, Eduardo (primo), eu e Edmur (colega da USP).

Lá do interiorzão fomos para as praias. A Bahia tem 1.100 km de litoral e nós curtimos a costa norte, dos coqueiros e da Linha Verde. Acima, a Praia do Forte, que terá postagens especiais.

Mas nosso destino final foi Mangue Seco, a 224 km de Salvador. É a última praia da Bahia, localizada em uma península entre o rio Real (que divide Bahia de Sergipe) e o oceano Atlântico. Acima a área comum de nossa pousada: Fantasias do Agreste. A vila tem umas 30o pessoas e está no município de Jandaíra, o último da Bahia, antes de Sergipe. Nessa pousada passei algumas horas lendo uma tese de livre docência sobre artes, pois estou na banca que a julgará, em agosto, na USP. Texto provocativo, de vez em quando olhava para a praça do povoado, com suas mangueiras, coqueirais e aroeiras, perto do rio. A vila é uma fronteira cultural e geográfica que nos afasta do mundo urbano e nos remete aos estereótipos passados do paraíso tropical e do Brasil rural. Um lugar perfeito para se passar uns dias, antes de chegar a vontade de voltar para outras delícias, da cidade iluminada, com suas torres e neuroses contemporâneas.

Mangue Seco é um dos últimos povoados brasileiros afastados do turismo de massa de alta densidade. Tem ruas de areia e os únicos carros são os buggys que vão às dunas e praias. Só se chega de barco, pelas vilas do lado de Sergipe, depois de atravessar o rio Real.

As praias tem os ninhos de tartarugas marinhas protegidas pelo projeto Tamar, implementado em 1980 e com sede na Praia do Forte. Em Mangue Seco e em outros pontos de desova o projeto conscientizou pescadores e a comunidade da importância de preservar a natureza.

O lugar tem oito pousadas e e cinco restaurantes, além das barracas nas praias. Praias rústicas, selvagens, lindas e quase desertas. Nessas barracas bebe-se água de coco, caipirinhas e caipiroskas (com vodka), sucos e refris. De vez em quando passa alguém oferecendo empadas, camarões e ... ostras (um projeto com apoio do Sebrae).

A cerveja chega de trator ...

... e é servida com moquecas, peixadas e tira-gostos ...

... nos quiosques da praia. Pode-se pagar com Visa ou Master Card (débito), via satélite, especialmente na barraca Asa Branca, a melhor do pedaço. As coisas não são exatamente baratas, mas são boas.

Essa vendedora de artesanato faz pizzas à noite, no restaurante Suruby.

Esse é o lado do rio, com as varandas e jardins debruçados nas águas frescas e limpas que encontram o mar.

A igrejinha do povoado da Santa Cruz das Almas e o padre vem algumas vezes por mês.

Esses são os licores, sorvetes e doces da dona Sula, uma senhora que possui uma casinha ajeitada e gostosa, em um dos lados da igreja.

Comer no sossego, na paz, no silêncio (quando a TV está desligada) ...

... olhando a vida passar em slow motion, em slow food e slow travel. É aí que a gente sente mais intensamente a existência. Depois dá uma vontade de voltar, mas a alma já se embebedou da natureza e da imensidão do prazer que o planeta nos oferece.

ATENÇÃO: Campinas fez 236 anos no dia 14 de julho e há um novo site comemorando a minha cidade natal: www.campinas.com.br - Confira, sou um dos colunistas do projeto.

6 comentários:

Maria disse...

Olha que o jeito slow de levar a vida vicia !!!!!

Já ficou bom???

beijos baianos

Luiz Trigo disse...

Maria, já fiquei ótimo e a Bahia me curou.

TURISMO NO PIAUÍ disse...

Prezado Trigo,
obrigado por nos trazer fotos e textos de suas viagens...sempre enriquece nosas aulas.....rs.r.sr.s
abração do Francisco Correia....te mandei um jornalzinho em comemoração aos 10 anos de implantação do primeiro Curso de Turismo do Piauí....

dayse disse...

eii estou indo passar minha lua-de-mel nesse lugar!! muitoo legal! adoreii

dinhaliffe.com.br disse...

Fiquei encantada por este lugar desde que a novela Tieta passou...
O meu grande desejo é de um dia conhecê lo, talvez nas minhas próximas férias...
Lindo demais...

Devid Santos disse...

Curti essa pagina do Face tem umas fotos legais de Mangue-Seco e Pontal. >> https://www.facebook.com/pages/Povoado-Pontal-Indiaroba/228082603997962