quarta-feira, 7 de abril de 2010

Luiz Trigo, 51 - Vintage II


Poesia: Luiz Gonzaga Godoi Trigo. Turismo, 1980/1981

Minhas poesias e textos têm como tema as viagens, aventuras e, nesse caso, o amor. Excepcionalmente nesta não coloquei a data, mas foi escrita entre 1980 e 1981, numa volta dos EUA. O nome não poderia ser outro: turismo.


Turismo

Um último raio de sol refletido
no vidro fumê, ilumina meu olhar perdido,
absorto, dissimulado como as luzes indiretas
do restaurante do aeroporto.

É nosso último por-do-sol juntos,
em instantes esse sonho se desvanecerá
e nossas imagens serão
como anjos arquetípicos,
de um sonho maravilhoso.

Olhares, poses finais simulando indiferença,
talvez segurança, jamais a cruel saudade
que começa a corroer nossas almas.
O inevitável fim de mais uma história de amor...

Nosso voo é chamado e na fila do portão
nos entendemos num olhar sacana
e desapontado. Sabemos a cena final.
Uma música ambiente, uma manhã
insossa de chegada, nossos corpos semi-suados
e cansados trocando um último abraço na chegada,
um último beijo e um último olhar
tentando assassinar os desejos selvagens,
tentando fugir dos padrões burgueses de
despedidas dignas e estereotipadas.

Um primeiro raio de sol incidindo
diretamente no meu olhar cansado,
consciente, ostensivo como o céu luminoso
de primavera nessa avenida barulhenta,
vendo você se afastar até desaparecer
no fluxo neurótico dos carros.

Uma imagem guardada na retina, arquivada
para sempre na mente, até a próxima viagem,
até a próxima princesa por algumas noites,
enviar essa imagem junto com as outras
no fundo do inconsciente.
E talvez esquecê-la para sempre ... Ou não.

Luiz Gonzaga Godoi Trigo




Um comentário:

Sylvana Marques disse...

Você é tbm um poeta,eu uma amante de fotografias, corri pra aprecia-las, vc tem um otimo fotografo ao lado, a foto a favor da luz em frente a janela ficou linda e a das nuvens com o detalhe da turbininha do avião aparecendo nossa um encanto,charmosa sei lá, vou ser burra nao sei o q dizer, só sei q gostei!Imaginei será q ele possui um Nikon ou uma Canon das EOS , ai ai ai ai, q chato tirar o valor do artista e por em uma maquina né? Com certeza o olhar do artista deu toda a beleza e dramaticidade da foto...